Gartner prevê que Inteligência Artificial criará mais empregos do que eliminará a partir de 2020

inteligencia artificial

O Gartner, Inc., empresa de consultoria, prevê que 2020 será um ano crucial na dinâmica de emprego, uma vez que a Inteligência Artificial (AI) se tornará um positivo motivador. O número de postos de trabalho afetados pela AI irá variar de acordo com a indústria. Até 2019, setores da saúde, do governo e da educação terão uma crescente demanda de empregos, enquanto a manufatura será atingida fortemente. A partir de 2020, a criação de empregos relacionados à Inteligência Artificial (AI) passará por uma transformação positiva, chegando a 2 milhões de novos postos de trabalho em 2025.

Para Svetlana Sicular, vice-precidente de pesquisas do Gartner muitas inovações significativas no passado foram associadas a um período de transição de perda de emprego temporário, seguido de recuperação, e essa provavelmente será a rota seguida pela transformação de negócios e a AI. A Inteligência Artificial melhorará a produtividade de muitos empregos, eliminando milhões de posições de nível médio e baixo, mas também criará milhões de novas posições de habilidades altamente qualificadas, gerenciamento e até mesmo a variedade de nível de entrada e baixa qualificação".

Ainda de acordo com Svetlana,  “as previsões mais pessimistas de perdas de emprego confundem a AI com a automação - que ofusca o maior benefício de AI - uma combinação de Inteligência Humana e Artificial, em que ambos se complementam”.

Os líderes de TI não devem apenas se concentrar no aumento líquido projetado de empregos. Com cada investimento em tecnologias habilitadas para AI, devem-se levar em consideração quais empregos serão perdidos, quais empregos serão criados e como irá transformar a forma como os trabalhadores colaboram com os outros, como tomarão decisões e como terão os seus trabalhos concluídos.

Sicular é pontual:"Agora é a hora de realmente impactar a sua direção em longo prazo de AI". Ela conclui: "Para o maior valor, concentre-se em aumentar as pessoas com AI. Enriquecer o emprego das pessoas, reimaginar tarefas antigas e criar novas indústrias”.

O Gartner também identificou previsões adicionais relacionadas ao impacto da AI no local de trabalho:

Em 2022, um em cada cinco trabalhadores envolvidos na maioria das tarefas não rotineiras dependerá da AI para fazer um trabalho. A inovação foi aplicada em tarefas altamente repetitivas em que grandes quantidades de observações e decisões podem ser analisadas para padrões. No entanto, a aplicação de AI para um trabalho de menor rotina que é mais variável e, devido à menor repetitividade, começará a render benefícios superiores. É mais provável que a AI aplicada ao trabalho sirva para ajudar os seres humanos, ao invés de substituí-los, uma vez que as combinações de seres humanos e máquinas funcionarão de forma mais eficaz do que os especialistas humanos ou as máquinas orientadas por AI que trabalhem sozinhas.

Craig Roth, Vice-Presidente de Pesquisa do Gartner abordou as possibilidades de uso:"Usar a AI para gerar automaticamente um relatório de status semanal ou escolher os cinco principais e-mails em sua caixa de entrada não tem o mesmo fator surpreendente que, digamos, curar uma doença séria, e é por isso que esses usos práticos e de curto prazo passam despercebidos. As empresas estão apenas começando a aproveitar a oportunidade para melhorar o trabalho não rotineiro através por meio da Inteligência Artificial, aplicando-a a ferramentas de propósito geral. Uma vez que os trabalhadores do conhecimento incorporem a inovação em seus processos de trabalho como uma secretária virtual ou interna, os empregados robôs se tornarão uma necessidade competitiva".


 

Deixe seu comentário: