Revista Raça fala sobre #MeuPrimeiroAbusoPolicial

Rafael Braga

A prisão e condenação do catador de papel Rafael Braga indignou milhares de pessoas. O fato acorreu quando um juiz do Rio de Janeiro mesmo sem provas concretas, num abuso do poder, sentenciou um jovem a 11 anos de prisão. Com grande repercussão, o caso de impunidade incentivou o conteúdo da campanha lançada pela revista Raça intitulada #MeuPrimeiroAbusoPolicial.

A campanha tem como intuito que os leitores da publicação narrem como foi a primeira vez que foram abordados pela polícia, qual o sentimento e principalmente qual sua reação. Muito mais que os leitores e seguidores da publicação, a iniciativa tomou conta das redes sociais nas últimas semanas, foram centenas de depoimentos e milhares de compartilhamentos da hashtag #meuprimeiroabusopolicial.

Confira abaixo algumas das publicações:

Para o diretor da revista, o jornalista Mauricio Pestana, o atual momento de intolerância e recrudescimento de ações militares pelo qual passa - tristes exemplos como a recente ação da polícia na cracolândia em São Paulo, ou a violência contra professores em Curitiba -, apenas contribui para que negros e brancos brasileiros exponham o pavor que sentem daqueles que em tese são para lhes trazer segurança.

Paola Rodrigues, responsável pela estratégia online da campanha, afirma que a viralização da campanha se dá devido ao sentimento de indignação dos abusos sofridos e a revolta com os caminhos que a segurança pública tem tomado, usando as redes sociais como forma de ter voz e amparo. A campanha até agora alcançou mais de 300 mil pessoas e tem engajado influenciadores e coletivos pela internet. A página já ganhou mais de 10 mil curtidas nos últimos dias e tem apoiado os relatos enviados para a redação, reverberando ainda mais os relatos das vítimas.

Deixe seu comentário: