Master apresenta posicionamento "Independente do Não"

das
Da esq para dir: Cícero Rohr, Joanildo Castilho, Antonio Freitas, Henrique Lovo, Kiko Vicente, Bruno Lunardon. Foto: Nuno Papp

Preocupada em se manter relevante ao que se refere às transformações da comunicação no mundo, a Master, que possui unidades de negócio em São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro e Brasília, apresenta novo conceito e posicionamento: “Independente do Não”.

O processo que define os novos rumos foi liderado pela equipe interna de planejamento e inteligência estratégica e envolveu análise de cenários, pesquisas e tendências, seguido por um estudo de benchmarking e clusterização do posicionamento de 153 agências no Brasil e no mundo, bem como entrevistas em profundidade com o “key people” da Master (12 pessoas). A partir dos resultados obtidos, foram definidos seus principais valores, hipóteses de posicionamento e escolha de caminhos, em uma linha que transita em duas frentes.

A primeira delas é o fato de a Master possuir a capacidade de se recobrar facilmente, seja qual for a situação ou o desafio. Ser uma agência camaleoa por se adaptar a diferentes clientes, segmentos, trabalhos e budgets. E o fato de ser independente (não pertencer a nenhum grande grupo de comunicação) permite a entrega de um trabalho mais personalizado, com uma preocupação para que, verdadeiramente, o cliente gere mais negócios com sua comunicação.

A segunda gira em torno da Inteligência Coletiva, que valoriza o colaborativo e empodera os seus colaboradores.  A Master não é uma agência de um único nome, mas de vários talentos. Isso contribui para a continuidade, o histórico e o jeito de trabalhar. Numa decisão coletiva, a opinião dos colaboradores tem o mesmo peso.

“Ao longo de sua história, a Master nunca teve sua imagem associada apenas a alguma grande celebridade do mundo da propaganda. A força da agência sempre esteve no conjunto de sua equipe, na sua capacidade de mobilização para o desenvolvimento de trabalhos e campanhas memoráveis e com grandes resultados”, comenta Kiko Vicente, CEO da Master, e completa, “a questão da resiliência tem muito mais a ver com o conceito biológico da palavra, com nossa capacidade de adaptação a novos ambientes e situações, à sua flexibilidade e habilidade em mudar e transformar-se para atuar em novos cenários”.

Durante 11 anos, a Master fez parte de um grande grupo internacional de comunicação, um período em que avalia como muito importante e de grande aprendizado. No entanto, suas lideranças decidiram seguir por outros caminhos e retomar a independência com o objetivo de ter mais agilidade e velocidade para se movimentar e se adaptar às realidades e exigências do mercado e dos clientes. “O ‘Independente do Não’ remete à nossa independência em relação aos grandes grupos internacionais, mas não apenas isso, refere-se também sobre a capacidade de nos adaptarmos, de não aceitarmos o não como objeção, de não desistirmos frente à primeira dificuldade. De irmos além na busca pela melhor ideia, pelo melhor trabalho e, principalmente, pelo melhor resultado para nossos clientes. É sobre criatividade, impacto e métricas”, explica Vicente.

 

Deixe seu comentário: