Prêmio Moliêre, Oscar do teatro nacional, é reativado no Brasil

dsa

O teatro é uma das artes mais antigas da humanidade e para celebrar os seus principais nomes foi criado no Brasil em 1963, sob o patrocínio da Air France, o Prêmio Moliêre. Famoso na França, o evento ainda está na ativa até hoje no país europeu e já ostenta a sua 29º edição, que foi entregue em final de maio, em Paris, no Salle Pleyel.

Realizado pela última vez em terras nacionais no ano de 1994, a competição já premiou nomes como: Cleyde Yaconis, Gianfrancesco Guarnieri, Nathalia Timberg, Fernanda Montenegro, Plinio Marcos, Antunes Filho, Juca de Oliveira, Lilian Lemertz, Othon Bastos, Stenio Garcia, Antônio Fagundes, Marilia Pera, entre outros.

Muito famoso na época, os vencedores nas categorias de melhor ator, atriz, diretor, dramaturgo ou prêmio especial recebiam uma estatueta - réplica do busto de Molière e uma viagem a Paris. O júri do prêmio era composto de jornalistas e críticos de arte, sendo a festa de entrega por muitos anos realizada no Theatro Municipal, fosse do Rio de Janeiro ou de São Paulo.

Pela memória do prêmio ainda ser presente na classe artística, na opinião pública em geral, nas entidades e instituições, os organizadores buscam reativar e ampliar a área de atuação da competição para reavivar toda a sua representatividade.

Com esse intuito, eles querem transformar o que antes eram duas noites, em uma série de importantes acontecimentos culturais.

Deixe seu comentário: