Comemoração do 20º aniversário do Clube dos 100 Amigos lança livro sobre casos publicitários

oi

Com data marcada para seu lançamento no dia 28/6, o livro “É o que parece!” reúne em suas 240 páginas, 41 autores e 65 casos narrados pelos mais consagrados profissionais do mercado publicitário, da promoção, da produção publicitária, de veículos de comunicação, jornalistas e advogados. As narrativas contam experiências vividas durante mais de cinco décadas, num dos períodos mais significativos da atividade publicitária no Brasil.

Essa obra é de iniciativa do Clube dos 100 Amigos, que este ano comemora seu 20º aniversário. O Clube foi fundado por alguns profissionais, mas que com o tempo foi agregando novos, formando um grupo de amigos cuja finalidade é manter as raízes históricas do mercado da comunicação publicitária.

Os encontros desses amigos são realizados periodicamente durante almoços festivos, onde temas atuais são discutidos sem pressa e livre de qualquer compromisso. Esse Clube, com o passar do tempo transformou-se num case de marketing, como se diz no meio publicitário porque cada vez mais agrega amigos e sempre revelando novas facetas do vasto mundo da comunicação.

A origem do Clube é contada no livro por José Francisco Queiroz, com passagens por grandes agências como Norton, J.Walter Thompson e mais recentemente pela ESPM.

O livro é prefaciado por Roberto Duailibi, que faz um resgate histórico desde os anos de 1955 até os nossos dias, destacando o quanto a propaganda tem contribuído para a economia de livre iniciativa. Além disso, lembra também de como surgiram entidades de defesa do setor como a Abap (Associação Brasileira de Propaganda), Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária, APP (Associação dos Profissionais da Propaganda), Grupo de Mídia, a criação da ESPM. Em certo trecho diz Duailibi em seu prefácio: “ Olho a lista dos membros do Clube dos 100 e vejo só amigos pessoais, e concluo que eles também são amigos entre sí”.

 A Carta ao Leitor, assinada pelo editor e jornalista Antoninho Rossini apresenta a obra esclarecendo sobre a forma peculiar das narrativas visto que os autores são os seus próprios atores, os casos são contados na primeira pessoa. Vale ressaltar que apesar da descontração e irreverência, as revelações feitas são verdadeiras, daí o nome “É que parece!”

Como demonstração de apreço pelo Clube dos 100 Amigos, o livro recebeu apoiadores como o Cenp (Conselho Executivo de Normas Padrão), APP, agência Lew´Lara/TBWA, Rede Globo, Grupo de Mídia e Editora Re

Deixe seu comentário: